REVIEW: "Pretty Little Liars" - 7x01 - "TICK TOCK, BITCHES!" Summer Premiere

Olá Beauties, tudo okay? Apareci! :}

Vou comentar sobre o episódio de retorno de Pretty Little Liars, que estreou ontem. Já que afinal, teve procura entre ontem e hoje no blog que só escrevia praticamente sobre PLL, então... kkkk'


A série que a maioria de nós só continua assistindo pelo fato de já ter investido anos de vida na mesma, e que felizmente, teremos o fim dessa história nesta temporada.
(For my american readers, please, translate it with an online translator, it will be sorta easy to translate it 'cause of the easy way of speaking I'm writing on this text. =] I won't make an english review this time.)

[Imagens retiradas de "PLL Wikia & Fotos Promocionais]


O episódio começa com uma potencial cena futura de três das liars, sendo elas Spencer, Aria e Emily, desesperadamente em prantos enquanto cavam uma cova e referenciam que alguém morreu. Se me perguntarem o que eu acho disso, é que muito provavelmente, Alison morrerá em episódios futuros pela suposição de ela ter matado Charlotte. A não ser que seja um dos personagens que vai chegar durante a temporada, o que seria meio imbecil, trazer os personagens de volta apenas para matá-los, como Jenna, Paige e Noel que não vimos desde a metade da season 5, ou Jason que sumiu durante a time jump, ou ainda mais, Wren, que é certamente o personagem mais aguardado, e que não vimos desde o 4x10. 

A não ser que isso indique que realmente Hanna morrerá mais pra frente. Afinal, ela não está nesta cena com as outras três. .-.

Logo somos transferidos a uma cena com as pimpolhas e os pimpolhos juntos a rainha da série, minha Mona Vanderwaal, onde a temporada passada terminou. Ou seja, após o grupo receber a mensagem de "A.D." agradecendo por terem lhe entregado Hanna tão facilmente. Tudo para que eles fiquem ainda mais assustados ao verem alguém com o familiar rosto da falecida Jessica DiLaurentis andando próximo a eles, que logo, descobrem ser Mary Drake, a irmã gêmea de Jessica.

Logo, eles recebiam mais uma mensagem do "A.D.", referenciando Hanna com o sino da igreja. Apesar de eu ter certeza plena de que Hanna não estava morta, afinal, Marlene King nunca teve pulso firme suficiente para matar uma das mentirosas, afinal, todas estão vivas até hoje, inclusive Alison. São sete anos de mistérios e assassinatos e os alvos principais não morreram. Mas tudo bem...
Aquela cena da Hanna pendurada no sino da igreja foi realmente o que eu esperava, uma boneca com uma máscara dela. Entretanto, ainda assim, deu um certo arrepio, já que a máscara era tão realística.


Uma crítica: Esse lance de máscaras desde o episódio anterior agora abre espaço para um leque de possibilidades grotescas em meio aos roteiristas, de ressuscitarem quaisquer personagens que morreram, ou fazerem outros terem agido como outros esse tempo todo. Por exemplo, Rollins usando uma máscara de Wilden durante o episódio anterior... Tudo bem que foi legal e até mesmo terrível! Mas, convenhamos, como é que o Rollins seria capaz de fazer uma máscara com o rosto idêntico ao do Widen, se ele estava morto há duas temporadas atrás? E na linha do tempo de PLL, 5/6 anos atrás? Mas tudo bem...

Vimos Hanna sofrendo na mão de Uber A. Vimos Aria e Ezra tendo seus momentos, que desta vez não foram tão entediantes. Inclusive, gostei da cena da Aria no bar ouvindo aquela antiga música e relembrando do primeiro episódio.




Resumindo por personagens:

Hanna Marin: Convenhamos... Todo esse lance de "#SaveHanna" seria mais interessante e inteligente, se no episódio em que revelaram que Charlotte era "A", não tivessem nos dado uma cena futura em que as mentirosas estavam juntas com Alison anunciando que um "ele" estaria chegando. Todo esse lance de Hanna em perigo foi a coisa mais idiota que PLL já fez. .-.



A não ser que realizassem desejos latentes de que Hanna, minha segunda personagem favorita, tivesse uma gêmea das trevas, o que não aconteceu.
Admitamos que ver a Hanna sofrendo é algo que ninguém gosta (inclusive meu primo e minha irmã não aceitam isso kkk'), porém, ao menos, isso serviu para finalmente mostrar que este novo "A" é realmente perigoso.


A cena em que ela sonha com uma Spencer do passado eu achei bem bonita; embora, fanservice alternativo, para fazer os fãs que estavam se virando contra Spencer, por conta de Caleb, voltarem a gostar dela. Eu sou um eterno #Haleb, porém, como vocês sabem, eu também gosto muito de #Spaleb, acho o máximo. Enfim.


A última cena de Hanna, quando ela consegue fugir de onde estava sequestrada, e começa a correr no mato, eu pensei que ela iria ser pega de novo. Bom que isso não ocorreu, e a face dela quando deu de cara com a Mary valeu o episódio todo!

Aria Montgomery: Aria foi Aria neste episódio, porém, menos entediante. Resolveu invadir a casa maligna da Alison para encontrar alguma coisa. Não encontrou nada que prestasse, precisou a Emily ir lá para isso. A função dela no episódio foi basicamente essa. Nada a declarar. Só o erro de continuidade grotesco, em que estaríamos na mesma noite do episódio passado, e Aria aparece de cabelos castanhos, enquanto ela estava meio loira no episódio anterior. Tipo, "Minha amiga foi sequestrada, mas vou ir ali no salão passar um Wellaton.".

Emily Fields: Emília foi menos entediante que de costume nesse episódio. Ela foi a única a se interessar em visitar a Alison na clínica... Belas amigas essa Alison tem, não é mesmo? :}
Até ver a Emily rondando a casa de Alison enquanto Rollins dormia, em todo aquele clima de "-A", que me fez automaticamente cogitar que poderia ser ela a assassina de Charlotte...


Aquela cena em que ela entra no quarto da Alison, e começa a ter lembranças ao pegar aquela caixinha de música diabólica, eu mesmo abri um sorriso quando começou a tocar "Every Breath You Take", que obviamente deixou todos os fãs de #Emison aos suspiros, estou certo? Gostei daquilo. Estava preocupado quando disseram que essa temporada seria a mais romântica de todas, por imaginar enrolação nos episódios, mas se o romantismo acontecer desta maneira, acho válido.

Emily voltou a sua idiotice típica quando decidiu descobrir pela própria Alison, que estava dopada e drogada na clínica se ela teria matado a Charlotte... Quando nós pensamos que já vimos de tudo...

Spencer Hastings: Quase sem função neste episódio, pela primeira vez. Por isso mesmo, podemos dar um desconto. Entre ser chata sobre fazer comida enquanto todos estavam preocupados com a Hanna, e ter toda sua função investigativa sendo passada para Emily e Aria, além é claro, do sonho alucinógeno da Hanna, a única cena importante dela foi com a Mary, que comentarei mais abaixo.



Mona Vanderwaal: A rainha da série, e motivo pelo qual ainda continuo a assistir desde a terceira temporada... Foi uma das principais, junto a Caleb, a ficar na linha de frente para descobrir o paradeiro da Hanna, usando todas as suas habilidades como primeira "A" para isso, o que acabou sendo meio útil. A expressão de desespero ao ver uma boneca da Hanna, imaginando ser a própria, valeu como prova definitiva para os que ainda não acreditavam em #VanderMarin.

Caleb Rivers: Sua função foi nos entreter com sua braveza para procurar por Hanna, ter breves demonstrações de "carinho" com Mona, e claro, ignorar Spencer. O fato de ele entregar Alison para "A.D." de imediato, sem pensar duas vezes, me fez querer dar na cara dele. Eu sempre gostei dele, mas de uns tempos pra cá, desde a time jump, ele tem estado bem babaca.

Toby Cavanaugh: O Toba não teve muita utilidade nesse episódio. Fez bem o papel de Matt Donovan de "The Vampire Diaries" neste episódio. Só serviu para nos dizer coisas que já sabíamos. Enfim, quase figuração.

Ezra 'Fitz'Gerald: Não teve muita função. Serviu apenas para estar ali figurativamente e servir de fanservice para os fãs de #Ezria, Ainda não compreendo como toda aquela habilidade dele a nós mostrada durante a 4ª temporada, como sendo um stalker maníaco e psicótico, cheio de câmeras espalhadas pelos lugares, tendo inclusive invadido o quarto da Hanna... Nunca terem sido utilizadas após isto. E ainda mais, não sei como existe a surrealidade de ter gente que goste de Ezria após isso. .-.
Não supero terem jogado a grande chance de terem o tornado um dos maiores vilões da série, pois aquilo realmente virou as coisas de cabeça pra baixo, em que ele poderia ainda sim estar interessado na Alison.

Alison DiLaurentis: As pimpolhas e pimpolhos acham que ela é a assassina de Charlotte. Então, muito provavelmente, não é. Alison basicamente não teve falas, afinal, estava chapadona o tempo inteiro, levando seringadas do esposo o episódio inteiro. Ao menos ela descobriu na cena final, que seu marido não é flor que se cheire. Ao menos, isso nos dá esperanças de em breve termos a Alison vadia do mal de volta, sem ser essa dona de casa, bela e recatada, que temos tido desde que ela voltou do inferno para a cidade dos psicopatas que é Rosewood.

Mary Drake: As pimpolhas e pimpolhos acham que ela é "A.D.", então, muito provavelmente, não é. Ao mesmo tempo em que é bom termos a atriz Andrea Parker de volta à série, e que eu já tenha me acostumado que quem tem a gêmea não é alguém que nos interesse, ainda parece extremamente forçada a existência dela, a não ser por uma citação entre Kenneth e Jessica durante um dos flashbacks do 6x10 com o pequeno Charles. Enfim, a Mary me parece uma boa pessoa, quero tomar um chá com biscoitos com ela. Brinquei! ahahah'



Ela não me parece ser uma psicopata, como o Rollins, mas sim, uma leve sociopata,talvez. Ela certamente tem planos, afinal, comprou o Lost Woods Resort, de onde Hanna foi sequestrada.
Eu gostei da cena dela com a Spencer, me deixou óbvia uma brecha para que ela possa ser a mãe biológica da Spencer ou da Melissa, ou mesmo, ter algum segredo do gênero com os Hastings.
Sinceramente, eu até que gosto da personagem, mas o plot é óbvio. Se não a fizerem ser uma moça do bem pra morrer no final, vão fazer a mesma coisa que Alison e Courtney na história original dos livros, em que a Mary diz que a Jessica a afastou de todo mundo dizendo que ela era louca, mas aí teremos um twist de que na verdade a louca seria a Jessica, que teria roubado a vida da Mary, e para termos outro twist de que na realidade, a Mary que vemos, é na verdade a Jessica verdadeira, e que Mary tomou o lugar dela para se passar por ela. Aí é só encaixar isso no plot de "A.D." e Uber A, que Marlene King já disse que não são a mesma pessoa.

Elliot Rollins: Como esse plot dele me cansa. É uma total perda de tempo, dar importância para um personagem que surgiu do nada. Claro que há como os roteiristas darem-lhe relevância ao plot central e ao passado da história, mas enfim... Rollins me cansa. Já era óbvio que ele era vilão desde sua estréia, para revelarem ao fim da temporada anterior que ele era, como se fosse causar a maior surpresa.


E o plot acaba sendo óbvio também, pois assim que Alison sair da clínica, é meio imaginável que ela vai querer se separar dele e ele vai se fazer de bom moço e até soltar umas lágrimas para dizer que ela teve alucinações, pois ele não teria parado de cuidar dela. É tudo muito óbvio. Ah não ser, que de um jeito louco, ele seja o Wren disfarçado, ou que tenha relação com o mesmo. Pois convenhamos, a grande maioria quer que o Wren tenha nas mãos o jogo de "A" definitivo, não é mesmo? =3 Mas Rollins me dá tédio. Até aquela cena dele pegando a faca, ou as cenas com a Emily e a Alison. Será que elas ainda não aprenderam que gente que gosta de todo mundo e é docinho com todo mundo não exite??? .-.


Cadê a Sara Harvey? Por mais que eu goste da personagens, que eles construíram, reconstruíram, destruíram e enfiaram goela abaixo de nós como sendo a segunda maior vilã da série, Red Coat, e depois de terem nos feito vê-la rondando as mentirosas durante toda a temporada passada, ela simplesmente some num episódio tão "importante" como este? Em que Mary Drake surge e que Hanna é sequestrada? Sério, só espero que não revelem que ela é a vilã de tudo atualmente ou que ela quem matou a Charlotte, pois vai ser muito tosco.

Aliás, sobre Charlotte, tenho minhas dúvidas sobre sua morte, com esse lance de máscaras, pode muito bem ser que ela tenha colocado uma máscara dela própria e colocou em um cadáver qualquer para poder agir pelas sombras mais sombria do que nunca. E aliás, não tem como a Charlotte não saber da existência da Mary, afinal, ela usava o nome de "CeCe Drake", o que me faz pensar e cogitar que ela é na verdade a Bethany Young que ela diz que o Jason deve ter visto na noite em que tudo começou, quando sabemos que Jason disse ter visto ela própria.

O episódio não teve muitos pontos altos, no meu conceito. Porém, não foi um episódio ruim. Valeu a pena assistir o episódio, pois ao menos, teve um pouco de adrenalina e sustos básicos. Não tanto quanto episódios icônicos como 4x12, 4x13, 5x01, 4x24, 5x12, e os quase aterrorizantes 5x25 e 6x01.


Motivos para se divertir com o episódio:
*Caleb estar uma pilha de nervos para salvar Hanna, praticamente ignorando a existência da atual namorada, Spencer, o tempo todo.
*Mona e Caleb realmente se detestam, acho isso lindo! Mas eles têm o amor por Hanna em comum.
*O momento "ai que susto" quando Alison abre os olhos de repente fazendo a Emily ir para trás. Admitam... Todos fizeram o mesmo.
*A votação secreta sobre quem as pimpolhas e os pimpolhos achavam que era o assassino de Charlotte. Não seria mais fácil falarem em voz alta? Mas foi cômico ver que tivemos quatro votos em Alison (certamente de Aria, Caleb, Ezra e Toba), um voto "vazio" (certamente de Emily, por não querer votar na Alison) e um voto em Mona e um voto em Spencer, certamente de uma sobre a outra.



Agora, ansioso para o retorno de Jenna e de Wren. E até o de Paige, que parece que vai também ter relação com o retorno da VadiAlison. Apenas aguardo para que essa temporada envolva muita ação e suspense, já que é a última com esse arco, e que a produção disse que terá mais mortes que as temporadas passadas, e mais respostas. Então, preparemos nossos cérebros.

Curtiram o ep de retorno? =D

Abraços.
F.

Comente com o Facebook:

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...