Resenha/Lançamento: BIOAGE - "Gel Micelar" - Bio-Cleanser Demaquilante! Limpeza Express

Olá pessoal, tudo okay?
Ursini está de volta, a pedidos! :}

A resenha de hoje é sobre o mais recente lançamento da Bioage, o Gel Micelar - Bio-Clean Demaquilante.




O produto promete uma limpeza express, removendo maquiagem à prova d'água. Sendo oftalmologicamente testado, hipoalergênico, contendo micelas hidratantes e nutritivas de origem 100% vegetal e água de lótus. 

O Gel Micelar Bio Cleanser é indicado para todos os tipos de pele, inclusive as sensíveis e a área dos olhos. Contém 120 gramas e custa cerca de R$ 52,00 - R$ 70,90. Vale a pesquisa.


Produto específico para uso home care.



Descrição: 
"GEL DEMAQUILANTE MICELAR formulado com água pura da flor de Lótus, com ação calmante, antioxidante e hidratante. Textura em gel não oleoso, refrescante e purificante. Indicado para limpar com suavidade qualquer tipo de impurezas da pele. Remove maquiagem à prova d’água, de forma segura, rápida e eficaz, inclusive na área delicada dos olhos. Fórmula de alta tolerância para todos os tipos de pele. Fórmula Oil-Free. Sem fragrância, álcool e parabenos. DERMATOLÓGICA E OFTALMOLOGICAMENTE TESTADO."




O produto vem em embalagem com válvula pump com o sistema giratório de "abre e fecha". Conteúdo de textura gel suave e fosco que se liquefaz em contato com a pele, coloração transparente. Aroma semi-neutro, sem fragrância, porém, com notas levemente florais, evidentemente vindas do ativo utilizado.

Modo de Usar:
"Aplicar pela manhã e à noite, com auxílio de algodão, sobre o rosto e área dos olhos. Não é necessário enxaguar."


A Fórmula:



O Que Temos de Bom: os ativos citados previamente. Portanto, um item bem "clean".


Experimentação do Felipe Ursini:
Utilizei o produto para limpeza geral da pele, e por vezes, como remoção de filtros solares com cor ou uniformizadores de tom totalmente suaves, portanto, não avalio remoção de maquiagens pesadas e/ou à prova d'água, como o produto promete ser capaz de remover.



O produto dissolve automaticamente em contato com a pele, se tornando aquoso. Ele tem um toque liquido, nada pesado. Não resseca a pele e nem a deixa pesada. É muito simples de aplicar, bastando passá-lo com o algodão sobre a pele para a remoção de sujidades e potenciais resíduos, de modo que você automaticamente tenha a sujeira transferida para o algodão.

A pele fica muito limpa, sem resíduos e o melhor de tudo, suave ao toque. Ela não fica muito mais hidratada, logo após ou durante o uso; no entanto, o produto não remove em nada a hidratação ou maciez e suavidade do toque da pele, que aliás, após alguns instantes o pele fica ainda mais suavizada aliada ao aspecto limpo e sem brilho de oleosidade, bastando uma pequena porção do conteúdo. Gostei bastante, pele limpa, sem ressecamento e agressão.



Veredito Beauty 'n' Roll

O que promete: Ação calmante, antioxidante, hidratante e purificante. Limpar com suavidade e eficácia qualquer tipo de impureza e maquiagem.
O que faz: Cumpre o que promete. Quanto à ação antioxidante, posso dizer que sinto que a pele absorve melhor os tratamentos após o uso dele. A pele fica limpa e suave, sem ressecamento e sem ficar oleosa.
Classificação: Excelente
Compraria novamente: Sim, se o preço baixar, ou não subir mais do que o atual.
Nota: 10+

E aí, gostaram? Já experimentaram este ou outros itens da Bioage?

Abraços.
-F

Resenha: ORIGEM - Geléia Eu Escolho Cachos + volume por favor!

Olá pessoal, tudo okay?
Ursini está de volta! :}

A resenha de hoje é sobre a Geléia Eu Escolho Cachos + volume por favor da Origem.


O produto promete ser "tudo o que você precisa em um único produto", além de não ressecar os fios. Indicado para todos os tipos de ondulações, das mais suaves às mais fechadas, ou seja, de fios anelados e crespíssemos. Além disso, é zero parabenos, cloreto de sódio e petrolato. Promete fios leves, sem frizz, com brilho e ação imediata.

Geléia Eu Escolho Cachos + volume por favor da Origem contém 510 gramas (na minha versão, mas parece ter de 550 gramas) e custa por volta dos R$ 10,90.


Produto específico para varejo
(facilmente encontrado em perfumarias e até em algumas farmácias).


Descrição:
"ORIGEM GELÉIA MAIS VOLUME POR FAVOR Foi feito para você, que não se contenta com o volume dos seus cachos e quer sempre vê-los mais alto, quanto maior o volume, melhor! Sua formulação leve e com textura em gel age nos cachos deixando-os modelados, sem frizz e sem ressecar os fios. Os cabelos ficarão flexíveis, livres para conquistar aquele volumão que você tanto admira! Ou melhor, admiração é o que você vai ter quando ver a altura dos seus cachos. É Mágico! Tudo o que você precisa em um único produto e o melhor, sem ressecar os fios."



O produto vem em embalagem de pote de rosca. O conteúdo é um gel com uma coloração gelo de brilho semi-fosco. A textura é a de um gel bem suave que se espalha facilmente pelas mãos com toque semi-aquoso. O aroma é suave, quase neutro.

Modo de Usar:
"Aplique a Origem Geleia mais volume por favor sobre os cabelos limpos, podendo estar úmidos ou secos. Espalhe uniformemente por toda a extensão dos fios, massageando suavemente. Em seguida, modele ou penteie normalmente os cabelos. Não enxágue. Uso frequente"

A Fórmula:



O Que Temos de Bom: glicerina, semi di lino, extrato de sálvia, proteína do trigo hidrolisada. Temos agentes umectantes e um agente que age na textura.


Experimentação do Felipe Ursini:
Utilizei o produto unicamente nos fios úmidos, não o experimentei aplicando-o nos fios já secos. O utilizei como um complemento a outros finalizadores também.



O produto tem uma textura de geleia suave, ainda mais suave que um creme gel. Ele espalha facilmente pelas mãos, deixando um leve toque de textura, bem leve mesmo, que é sentido nos fios, que já permite sentir com facilidade onde já tem produto aplicado, evitando o desperdício, enquanto os fios já ficam mais alinhados ao mesmo tempo (alinhados que eu falo é em um sentido de ganharem uma certa força tensora, como só utilizei nos fios lisos, não posso avaliar como cachos). 

Utilizei ele tanto sozinho deixando secar naturalmente, e após isso aplicando um protetor térmico e modelando com a chapinha, ou só o deixando natural mesmo... Também utilizei junto a séruns e leave ins.

O aplicando junto a outros finalizadores sinto que os efeitos gerais dos produtos são potencializados. Por exemplo, se seu leave in te dá definição, dará mais; se te dá maciez, dará mais. Ele se adapta ao volume atual dos fios.

Sinto que ele simplesmente, além de potencializar resultados de finalizadores, também funciona muito bem sozinho, controlando o frizz quase que sozinho, além de dar suavidade e macie na medida, deixando os fios com cara de cabelo cuidado, porém, sem exageros. Cara de cabelo mesmo, sabem? E com um brilho saudável.



Veredito Beauty 'n' Roll

O que promete: Modelagem sem frizz e sem ressecar os fios, além de flexibilidade.
O que faz: Cumpre o que promete, deixando os fios praticamente sem frizz, deixando os fios com um aspecto bonito e saudável de maneira geral. Também potencializa os efeitos de outros finalizadores.
Classificação: Excelente
Compraria novamente: Sim, funciona maravilhosamente bem e por um preço amigo.
Nota: 10++

E aí, gostaram? Já experimentaram este ou outros itens da linha de cachos da Origem?

Abraços.
-F




Review: Pretty Little Liars 7x11, "PLAYTIME" - Last Season Premiere!

Olá pessoal, tudo okay?
Ursini apareceu para comentar sobre o retorno final de Pretty Little Liars.



Sei que muitos de vocês sentiram minha ausência quando parei de fazer as reviews desde o 7x02, e ainda não havia feito da 6B completa. Bem, tive minhas razões para estar sumido, mas enfim, cá estou! =D

Antes de começar a falar do retorno de PLL, creio que eu deva dizer o que achei da 7A como um todo, certo? Bem, eu achei a 7A legal, 'assistível'. Não me empolgou tanto quanto a S3 ou a S5, mas achei bem tolerável. Só teve um único fator que eu definitivamente não gostei: a morte da Sara Harvey. Que além de ter sido um grande fanservice, acabou com chances de respostas concretas sobre a própria personagem, e sobre a grande vilã da série até a temporada passada,Charlotte DiLaraurentis.

Se eu citar partes que achei importantes da 7A, podemos classificar como A.D. atacando Alison em casa, "A.D." liberando Hanna do sequestro, Jenna e Sara de volta à cidade e aliadas junto de Noel, Sara revelando o que eu sempre pontuiei, que ela não era do mal nem nada... Jenna acusando as garotas sobre o sumiço do Archer/Elliot, Sara sendo morta pouco antes de dizer quem ela achava ser A.D., Hanna endoidando e sequestrando o Noel, Noel tentando matar Hanna e Emily, Jenna tentando matar Alison (com um revólver, e aliás, que criativo uma garota cega numa casa abandonada com um revólver ahaha'), morte do Noel decapitado, Spencer baleada, Mary Drake revelando ser a mãe de Spencer... Uber A, A.D., whatever sequestrando Jenna.



Bem, como nos velhos tempos, ilustremos quais foram os personagens que apareceram em "Playtime" e depois destaquemos as participações mais importantes.


Spencer Hastings
Hanna Marin
Aria Montgomery
Emily Fields
Alison DiLaurentis
Mona Vanderwaal
Caleb Rivers
Toby Cavanaugh
Ezra Fitz
Paige McCullers
Holden Strauss
Veronica Hastings
Marco Furey
(Newcomer) Katherine Daly
Jenna Marshall
Uber A /A.D.


Spencer Hastings:
Spencer aparece sendo levada ao hospital logo após salvar suas amigas de uma garota cega com um revólver, sendo baleada por outra pessoa que ela na verdade não viu quem foi, e enquanto sangrava até sua quase morte descobrir que Mary Drake é sua mãe.
Ao longo do episódio vemos Spencer ter uma conversa franca com sua mãe "verdadeira" adotiva sobre este fato, que se concluiu como verdade. Veronica admitiu que a existência de Spencer foi mais uma das puladas de cerca de seu marido com quem ele achava ser Jessica DiLaurentis. No entanto, Veronica ter criado Spencer com sua filha biológica não foi o suficiente para Spencer ficar tranquila quanto ao assunto, inclusive tendo aceitado iniciar o jogo proposto por A.D., conseguindo uma carta que sua mãe biológica, Mary Drake, havia escrito para ela quando esta foi retirada dela após o parto. Atuação de Troian Belissario ótima como sempre.


Hanna Marin:
Hanna, linda e bonita como sempre, começou o episódio na bed com Caleb, pois afinal, o que fazer logo após quase ser morta com um machado e ver sua amiga baleada e ensanguentada ao chão? Isso mesmo, ir para a cama com seu boy, nada mais normal, certo?
Até as palavras de Caleb foram bem toscas após ele acordar, "Hanna tem que se preocupar com Hanna", tipo, oi? Sua ex-namorada foi baleada, amigo. Mas enfim, o foco aqui é a Hanna, que teve uma participação bem tranquila no episódio, tendo mais cenas com Mona do que com as outras mentirosas. Hanna com o auxílio de Mona vai investir na sua carreira como designer de moda...
Aliás, Marlene King é fã de Gossip Girl, então, neste caso, qualquer semelhança com o arco final desta série entre Waldorf Designs com J for Waldorf não é mera coincidência. Senti totalmente uma vibe Jenny Humphrey / Blair Waldorf vindo daqui. O que não seria um problema, se o fato de Hanna gostar de moda não fosse tão superficial, apenas por ela gostar de se vestir bem e ter feito uma faculdade de moda e trabalhado com uma grande estilista, tudo isso nas duas temporadas mais recentes, enquanto antes, nada era explicitamente citado. Mas enfim, boa sorte Hanna Banana.

Aria Montgomery:
Aria foi bem aceitável neste episódio... Apesar de tê-lo passado inteiro pensando no Ezra, como de costume. Inclusive, eu confesso que eu ri quando o Holden a perguntou "Como você está?" e ela literalmente disse "Ezra!". ahahahha'
Tudo bem que é pelo fato de ele ter aparecido logo em seguida, mas não posso conter a ironia de Aria expressar exatamente a única coisa que tem em mente. haahahha'
Enfim, a participação de Aria girou em torno do fato de "Vai rolar casamento Ezria, sim ou não?", por conta do fato da ex-noiva desaparecida de Ezra ter sido encontrada.
O que mais gostei dela neste episódio foram as cenas dela com Toby, que aliás, eles mal tiveram cenas exclusivas na série toda, e com Holden, o amigo de infância que não aparecia há 4 temporadas.

Emily Fields:
Emily foi uma das personagens mais relevantes neste episódio. Apesar de não estar muito envolvida com o novo jogo de A.D., ela esteve lidando ao vivo e a cores com a rixa entre os fãs de Paily e os fãs de Emison, ela sentiu na pele esta treta!
Aliás, Emily conseguiu virar coach da equipe de natação de Rosewood High, quem diria, hein? Uma vez aluna, outra vez professora. :}
Agora ela vai trabalhar diariamente com Alissinha e Paige, tretas todos os dias, com sua crush platônica de desde quando nasceu, e com sua ex-namorada meio obsessiva que se odeiam mutuamente. No entanto, é evidente que quem se sentiu mais ameaçada foi a Alison, e Emily se deu conta disso no final, até mandando Alison parar, e a falando para não a beijar mais. Que avanço, Emily Fields, meus parabéns.

Antes que me critiquem, não, eu não sou Paily nem Emison. Tolero os dois pares.

Alison DiLaurentis:
Uma vibe da antiga Bitch-Ali das temporadas passadas pôde ter sido sentida neste episódio, depois de milênios. Alison está lidando com seu empobrecimento pós Archer/Mary e com o fato de estar prenha de surpresa, e de um pai desconhecido. Ela verbalmente expressou estar humilhada e pobre, a definição de uma garota feliz e bem. :}
Alison estava bem bonita neste episódio, não que ela não seja, mas nos episódios anteriores ela não estava lá essas coisas, visualmente falando, enquanto suas amigas estavam sempre lindas e belas, principalmente Aria e Hanna. Parabéns Alison, por decidir ir fazer um tratamento de pele e de cabelo após passar pela bad, e cuidar de si mesma novamente. #AutoEstima =D
Alison estava banhada no recalque neste episódio, ela não estava gostando de ver Emily com Paige, de não estar com Emily e de Paige ser Paige, e de Paige estar no colégio e na cidade sendo Paige. Alison quis trazer à tona uns flashbacks dos tempos em que Paige era Pigskin, e de todo o bullying envolvido, a agressividade de Paige e todo aquele carinho envolvido. E ela foi a única. Até Emily a mandar parar. Uma gracinha.

Mona Vanderwaal:

Gostei da Mona neste episódio. Aliás, quando é que eu não gosto da minha personagem favorita? Em "Playtime" tivemos uma vibe toda de relembrarmos das épocas de #Vandermarin existentes na season 1 e na season 2, com toda aquela vibe antiga dos comerciais da TRESemmé que ela e Hanna dividiam, literalmente.
Mona não teve nada de suspeito ou relacionado ao jogo de A.D. neste episódio. Certamente, apenas no próximo, de acordo com a promo. Neste episódio ela esteve mais interessada em fazer negócios com e para Hanna.
E mais uma vez, cito o fato de Marlene King ser fã de Gossip Girl, e aqui, sinto uma vibe de #Dangina, Dan Humphrey e Georgina Sparks, onde quando ninguém mais queria saber dos trabalhos de Dan, Georgina, a ex-vilã odiada por todos decidiu virar a agente exclusiva dele. Aqui, certamente ocorrerá o mesmo em relação à Mona e Hanna.


Caleb Rivers:
Todos sabem que entre a 6B e a 7A eu comecei a detestar o personagem, certo? E não, não é por causa de #Spaleb, que aliás, eu adorei, e sim, por causa do próprio Caleb. Ele se tornou simplesmente um babaca após o timejump. Ele sumiu da vida da Hanna quando a mesma queria seguir seus sonhos profissionais, deixando até o celular para trás, para que ela não pudesse contactá-lo. Se reaproxima de Spencer, a conquista, fica com ela apenas para ter um sexo diário, a trata como qualquer coisa, a trai com a Hanna, dá indiretas românticas em cima da Hanna quando ela está noiva de alguém... Se preocupa mais com a ex quando está com a atual, diz para a atual que se apaixonou por ela, mas aceita terminar com ela no dia seguinte como se não fosse nada...
E para completar, no episódio atual, diz que Hanna tem que se preocupar com ela mesma, enquanto a amiga foi baleada e até um outro amigo, dos dois, sofreu um acidente de carro. Que aliás, Caleb também foi um cretino com Toby durante a 6B, totalmente falso.
Enfim, quando ele saiu da série para ir para Ravenswood, deveria ter ficado lá mesmo e morrido junto com a Miranda Collins.
Eu já fui fã de #Haleb, exatamente até esta saída forçada. Após ele ter voltado, #Haleb pareceu totalmente forçado. E para mim, Caleb tem sido apenas um zero à esquerda.

Ezra Fitz:
Ezra foi tolerável neste episódio, simplesmente por não estar sendo uma sombra da Aria, ou fazendo esta ser sua sombra. Ezra estava querendo ficar com Aria, mas ao mesmo tempo estando preocupado com sua ex-noiva Nicole, que não havia querido falar com ele, até o meio do episódio. Ezra é mais assistível em crises existênciais do que quando ele está sendo um stalker pedófilo que finge ser um professor calmo e pacífico.
E sinceramente, sei que fãs de Ezria vão me detestar por isso, mas, se o roteiro estivesse em minhas mãos, Ezra ficaria com Nicole e Aria ficaria com Jason. Muito mais lindo, muito mais saudável. #JariaForever

Toby Cavanaugh:
Toba foi meio samambaia neste episódio. Tipo o Matt Donovan nos episódios importantes de The Vampire Diaries, com exceção da series finale. Enfim, sua função foi ter cenas rápidas com Aria e Spencer, apenas para mostrar que não havia morrido e que sua noiva Yvonne estava em coma.

Sério, se a série fizer a Yvonne morrer para #Spoby acontecer, será muito novela e ao mesmo tempo muita forçação de barra.

Holden Strauss:

Gostei de ver o Holden novamente. Confesso que achei que ele apareceria daqui uns dois episódios, fiquei surpreso quando ele entrou em cena. Hanna também se lembrou dele. Ele teve seus momentos de passeio com Aria, relatando ter visto na tv tudo o que a amiga havia passado nos últimos anos. E agora, ele é o responsável pelo buffet da organização do casamento dela. Mundo pequeno.

Só espero que nos próximos episódios ele dê respostas quanto à sua antiga participação no clube secreto dos Kahn, e seu envolvimento com potencialmente conhecer Jenna, Noel e Maya, afinal, Emily tinha tido memórias vagas sobre ele estar com ela numa lanchonete após Jenna tê-la tirado do cemitério quando ela estava alucinada por efeito de -A.


Veronica Hastings:

A participação dela, descrevendo como foi toda a situação envolvendo a gravidez de Mary Drake por Peter e sua decisão de adotar Spencer como sua própria filha, foi bem bacana e aceitável. Foi simples, crua e direta, sem muitos arcos-íris, e ao mesmo tempo, sem muita falta de informação.
Ela demonstra gostar da Spencer como sua filha biológica, como sempre demonstrou muito antes de sabermos da existência da Mary, o que explica facilmente os motivos do porquê Peter e Verônica queriam Spencer o mais distante possível do Radley.


Paige McCullers:
A participação de Paige foi legal e simples. Ela está ali para ficar, com um cargo novo no colégio, tendo que conviver diariamente com sua ex-namorada Emily, e sua bullie dos anos de adolescência, Alison DiLaurentis. Ao contrário de Alison, Paige demonstrou grande maturidade nos momentos em que estiveram juntas, praticamente não devolvendo os "elogios", apenas ao final, fazendo um comentário sobre como Alison também certamente era lembrada por seu passado, como sendo "inesquecível". Apesar de em sua rápida participação na 7A, Paige estar parecendo uma ex-namorada obsessiva para cima de Emily, aqui, ela já voltou a demonstrar apenas normalidade em relação ao relacionamento tóxico-abusivo entre Emily e Alison, que esta primeira parece ter finalmente se dado conta.


Katherine Daly:
Filha do senador, amiga de Mona e nova futura usuária das peças Hanna Marin Designs. Só isso.

Tá, não acho! Essa atriz fez duas coisas muito "suspeitas" enquanto esteve nas épocas de gravações: uma delas foi ter feito um molde de seu rosto, assim como Ashley Benson e Julian Morris também o fizeram; outra das coisas foi o fato de ter "vazado" uma foto dela como uma paciente loira de alguma clínica. Radley provavelmente? Acho que sim.

Então é isso, tenho certeza que o desfecho será que ela é Bethany Young, ou uma gêmea da Bethany. Ou ainda, no caso, a própria Bethany fingindo ser a gêmea.

Jenna Marshall:

Foi uma participação rápida, aquelas da última cena rápida das séries, quase um cameo.
Jenna estava  tomando chá com A.D., quando afirmou que ele/ela havia dito que iria falar sobre seu jogo, quando coloca nas mãos dela papéis escritos em braile, e ela lia "endgame" em alguma parte, e sorria. Jenna é realmente uma vilã. Ela inclusive vai dizer no próximo episódio que Noel também queria a matar, quando sabemos muito bem que eles eram aliados. Mas enfim...

A.D. / Uber A:

Uber A / A.D., whatever, enviou um presentinho para as pimpolhas mentirosas, que consistia em um literal jogo de tabuleiro para que elas jogassem, e que seria o fim do jogo. Spencer foi a primeira e única a jogar, até o momento, e o pedido foi bem "básico" a meu ver, nada dos pedidos super constrangedores ou arriscados nas épocas de -A (Mona) e Big -A (Charlotte); A.D. apenas fez com que Spencer fosse visitar Toby, e a conversa foi tão rápida e tranquila, que eu sinceramente nem me lembro sobre o que falaram, para ser honesto. haahah'

Acho que esse novo e literal jogo de A.D. pode ser bem interessante para o restante da temporada. E existem boatos de que teremos ao menos umas três mortes até o fim desta temporada final, o que faz finalmente A.D. parecer mais perigoso. Mas ao mesmo tempo, acho A.D. menos perigoso do que a época de terror de Mona (ameaças com os segredos mais sórdidos, estar sempre ao redor sem ser suspeita, saber das atrocidades que as meninas fizeram, causar alguns acidentes e ferimentos como a queda de Toby em uma reforma, planejar a morte falsa de Toby para deixar Spencer louca) e a época de horror de Charlotte (trancar as meninas numa geladeira de nitrogênio liquido, trancar Caleb em uma câmara incendiária, dopar Hanna e colocar uma mensagem entre os dentes da mesma, fazer constantemente a Spencer achar que matou alguém, dopar e sequestrar Mona espalhando o sangue dela pela casa para parecer um homicídio, espancar Mike no meio da noite e o deixar amarrado no meio de um parque, mandar Alison e Hanna para a cadeia, sequestrar as meninas e as torturar psicologicamente...).
Já, A.D. tido pela produção e atores como o -A mais perigoso... Até agora, parece ter apenas dado cabo de Sara Harvey, a ajudante direta de Charlotte... E que apesar de todos dizerem que A.D. é perigoso e tenta matar todo mundo que entre em seu caminho, em relação ao grupo principal, apenas lançou a cabeça da Alison em um espelho, explodiu um pouco de fogo próximo à Aria, tentou atropelar a Emily freneticamente, sequestrou a Hanna e fez uma tortura (tá, esse foi pesado), baleou a Spencer (mais um pesado), talvez ter cortado os freios do carro de Toby ocasionando um acidente a ele e um coma à sua noiva (mais um pesado)... Mas, relembrando a épica frase de Charlotte em sua revelação: "But did they die? No! Is her mommy hurt? No". ahahahha'

Apesar de A.D. demonstrar ter todos os aparatos possíveis para dar um fim em qualquer um ali, a coisa acaba não sendo levada muito à sério, ao menos, não por mim. Afinal, a única pessoa que foi morta foi a Sara, apesar de A.D. não ter deixado pistas, e a outra morte ocorrida no reinado de A.D. foi a de Archer Durnhill / Elliott Rollins, que nem foi causada por ele/ela, e sim pelas meninas. Fora a de Noel Kahn, né... Que convenhamos .-.

Enfim, é isso. E quem são minhas suspeitas para serem A.D.?

Atualmente:
Lucas Gottesmann (por questões tecnológicas)
"Irmã gêmea da Spencer" (tenho mais certeza após este episódio, pois, após a "aparição num sonho" de uma Spencer dando a saída para Hanna fugir de seu sequestro episódios atrás, vemos hoje a Veronica num flashback recebendo um bebê em seus braços, enrolado em uma manta rosa; no entanto, o bebê visto num flashback do doutor que havia feito o parto, mostrava um bebê enrolado em uma manta azul; fora na 6B uma pessoa identificada pela Aria como Sara Harvey indo depor na delegacia, identificada como Sara apenas pelo cabelo, mas que, quando pudéssemos observar com cuidado a cena, viríamos facilmente o rosto da Spencer na pessoa, e que aliás, A.D. tem uma máscara de Spencer, como ele a teria se não levou Spencer a lugar nenhum?)
Wren Kingston (envolvido de alguma forma)
Melissa Hastings
a própria Charlotte DiLaurentis (jogando mais uma vez após sua "morte", o que é possível depois de todo aquele lance tosco das máscaras super realistas, a de Wilden que o diga, que aliás, convenhamos, como seria possível fazerem uma máscara do rosto de um homem que já estava morto há anos? a tecnologia de PLL é extremamente avançada, acho que é Annunnaki hahaha')
E tem uma teoria posicionada como "spoiler" por aí, que dá um desfecho para a série como A.D. sendo Lucas e Lauren DiLaurentis, a irmã gêmea perdida de Alison, que era Big A junto de Charlotte, nas sombras, e sem o conhecimento da própria Sara. É bem legal, inclusive. Mais informações sobre isso aqui neste twitter da teoria / spoiler. Mas vejamos...


E aí, gostaram do episódio?

Abraços.
-F

TAG: VICIADO EM SÉRIES...

Olá Beauties! Tudo okay?
Sumi, né? Sim, eu sei!


Apareci, para responder uma tag que uma amiga recentemente debateu comigo. Foi a Re do Loucas e Maquiadas (cliquem no nome do blog para verem as respostas dela também), e resolvi responder.
Re, te amo! <3

Costumo assistir poucas séries, até por questão de tempo, e sou fiel a elas de tempos em tempos.


Séries citadas: The Originals, The Vampire Diaries, The O.C., Ugly Betty, One Three Hill, Gossip Girl, Pretty Little Liars, Friends, Criminal Minds.



1- Qual seu seriado atual Favorito?


Meu seriado atual favorito é sem dúvida alguma The Originals. Simplesmente amo! E foi massante a espera de meio ano para o retorno da mesma, e atualmente, em uma temporada reduzida à apenas 13 episódios, mas enfim.
É uma série derivada de The Vampire Diaries, que extraiu seus melhores personagens, os vampiros originais, para terem sua história própria como protagonistas (e se os céus quiserem, em breve, minha amada Caroline Forbes irá para lá na próxima temporada, ouvi um amém?).
Sim, é uma série sobre vampiros, mas é totalmente diferente, já que os vampiros daqui não nasceram de um fator "morto-vivo das trevas", foram criados por magia. É uma mitologia totalmente diferente do que culturalmente conhecemos como vampiros, e com isso, ambas as séries tem a magia como seu fator principal. E não tem nada de fada e bosques encantados envolvidos. É tudo bem sério. Deixo aqui como os vampiros foram criados neste contexto:



Enquanto TVD leva uma premissa mais teen e uma visão dramática/romântica das coisas, com o peso do apelo dark e sanguinário (sim, sou cagão, e já me assustei com a maioria das cenas, revelo! kkkk'), em T.O. este apelo dark é ainda mais intensificado, o drama é mais em questão de lealdade e traição do que romance, e as trevosidades são frequentes, tem sangue e morte em quase todos os episódios, que você meio que se acostuma com o cenário. kkkk'

Uma cena cotidiana em The Originals, onde Fraya simplesmente mata a amiga falsa de sua irmã mais nova:



E por falar em morte, socorro, pois a última temporada nos deixou com duas mortes em seus últimos episódios que não foi fácil, misturando todo o peso trevoso com o drama... Sofri por semanas, pois uma dessas mortes foi uma das minhas personagens favoritas... Ainda tenho arrepios com a cena. =/
Já adianto que não tenho sorte com as séries, pois geralmente, meus favoritos ou morrem ou saem da série. Aliás, meu elo aqui é Klaus Mikaelson, Davina Claire e Rebekah Mikaelson. #Amo.
E comecei a assistir TVD por causa da Rebekah, a vi em um vídeo no YouTube e me apaixonei, e apesar de ela só entrar na quarta temporada de TVD, decidi começar. E aí no início da quinta ela e seus irmãos foram pra T.O... E estou aqui até hoje. =D
E a série fica mais trevosa e dark à cada temporada, a primeira tem bruxas morrendo e voltando da tumba para matar uma criança mágica, a segunda tem uma bruxa demoníaca e imortal querendo a mesma criança, a terceira tem os primeiros vampiros existentes após os originais chegando para destruí-los (lançando um deles literalmente ao fundo do oceano! Aurora de Martel <3) e na atual, um espírito das sombras que possui os outros para sacrificar crianças, inclusive a criança mágica citada nas temporadas anteriores.
Melhor série!

2- Qual seu seriado antigo favorito?

The O.C.. Totalmente diferente da série anterior, este é um drama adolescente. Na verdade, a favorita teen mesmo seria Gossip Girl, que inclusive tenho os boxes, mas não é tão antiga assim em comparação com O.C., que vem logo em seguida no meu conceito.

É uma série que muita gente conhece, ou ao menos viu algo no SBT muitos anos atrás como "Um Estranho no Parasíso", pelas famosas sem sentido traduções dos nomes das séries. Mas enfim...
É uma série "clean", que retrata problemas gerais de adolescentes que vivem de uma forma intensa, principalmente os protagonistas Marissa e Ryan, até o final da terceira temporada, onde tudo muda ao início da quarta.

Esta foi a primeira série que me fez chorar... Quando minha personagem favorita foi embora no episódio 1x21. Sim, eu me lembro ainda. Foi meu primeiro sofrimento com uma série. kkkk' E foi meu primeiro casal favorito que não deu certo, Anna e Seth.


3- Já ficou triste com o final de alguma série?

Diria que fiquei triste com o final de Ugly Betty. Apesar de fins de séries nunca serem uma coisa tipo, "feliz", todas deixam um gosto "agridoce", é um final, mas é um final em geral agradável para seus personagens queridos e eternizados. No entanto, Ugly Betty acabou de uma forma súbita, o seriado meio que foi cancelado do nada, surpreendendo a todos. O seriado que teve até Lindsay Lohan, Lucy Liu, Adriana Lima e Shakira.

E ao contrário do que se pense, U.B. não era um drama tosco como sua contraparte original, "Betty a Feia", e sim, uma comédia dramática. Aliás, a principal diferença aqui é o fato de Betty não ser apaixonada por seu chefe, como na versão original. A série era muito mais comédia do que drama, embora todo o drama fosse bem relacionável, inclusive com os personagens mais ricos e poderosos, pois o foco não era o dinheiro dos personagens, mas sim, suas essências. A série mostrava aspectos reais da vida.

Era impossível não rir com os looks desastrosos da Betty, seu jeito desajeitado, a braveza da Wilhelmina Slater, o jeito latino de brigar da Hilda ou os recalques e superficialidades da Amanda e do Mark. A série deixou saudades, e por mais que eu me lembre de sorrir em quase todo o último episódio, o sentimento principal com certeza foi o de uma despedida forçada. :|
Como quando alguém querido vai embora sem que você se preparasse para isso.


4- Cite um seriado que todos gostam e você não

Poderia facilmente citar vários, mas... Bem... One Three Hill, foi um seriado teen para jovem-adulto que muita gente amou e eu não consegui suportar assistir o primeiro episódio inteiro, que mais parecia um episódio qualquer de uma série já atuante, e não um primeiro episódio que devesse prender sua atenção.

Once Upon a Time, muita gente gosta, e eu assisti o piloto, mas a série também não me prendeu, apesar de eu achar o contexto criativo. Walking Dead não me interessa...


5- Qual seu personagem favorito de um seriado?

Difícil citar um único, hein? Por favor... u.u kkkk'
Bem, eu saí há alguns anos do teen entrando aos poucos no jovem-adulto, então, não esperem encontrar personagens super bem resolvidos na vida aqui. kkkkk' Pois até eu ainda estou na crise dos 20. kkkk' E estou mesmo! kkkk'

Vamos lá, vou separar pelas quatro última séries que fielmente assisti:

Gossip Girl, Pretty Little Liars, The Vampire Diaries e The Originals.

Jenny Humphrey foi minha personagem favorita em Gossip Girl. Eu via vários aspectos meus nela nas primeiras temporadas, uma jovem doce e gentil que se admirava com o mundo, se rebelava e queria encontrar seu lugar no mundo, e acabou até saindo da série depois de tanta polêmica. Teve sua fase bad, mas no final, ela era e sempre foi do bem, quando como se redime e vai embora. No entanto, o final dela foi o melhor possível, conseguiu se dar bem na vida, se encontrar e realizar. Talvez, uma esperança para o Ursini?

Georgina Sparks também merece menção por Gossip Girl. Quando Jenny não dava o ar da graça, Georgina foi conseguindo mais espaço. Ela era simplesmente a iniamiga de todos. Aquela amiga tóxica sabe? Só que ela sabia que era, e estava muito bem com isso. Ela sabe dos seus segredos, e não se sente mal em usá-los contra você. Eu adorava ela, pois era nitidamente uma sociopata, porém, era engraçada e divertida, e fazia suas maldades sem remorso, e com cara de "gente, é a coisa mais normal do mundo". kkkkk'

Em Pretty Little Liars, eu literalmente só continuei a assistir a série a partir do fim da segunda temporada por conta dela: Mona Vanderwaal. E assisto ainda apenas por causa dessa personagem, que merecia série própria. Simplesmente um gênio em forma de menina bem vestida. Já foi nerd, já foi perdedora, já foi a top da balada, mandava na escola, vilã das trevas, trancada num sanatório, vilã não declarada, iniamiga, sequestrada, tudo e mais um pouco. Desde então, os episódios só tem graça quando ela aparece. E a atriz, Janel Parrish, dá um show nas atuações como Mona. Ela sabe dos seus segredos, suas forças e suas fraquezas, sabe até como você gosta do seu café, e ela está te olhando quando ela está com o espelho aberto, e sabe até hackear os arquivos da polícia. Mas no fim, é só uma pessoa que não foi aceita por quem quis como amigas.

Resultado de imagem para gif icons caroline forbes

Em TVD cito Caroline Forbes, Katherine Pierce e Kai Parker. Amo Caroline desde o primeiro episódio, e a espero em The Originals na próxima temporada para que eu finalmente tenha #Klaroline acontecendo.
Katherine Pierce é simplesmente a melhor vilã feminina das séries que vi. Épica. Ela pode até te tratar bem se você cooperar com ela conseguir ficar com o Stefan. As melhores cenas eram as dela, principalmente quando debochava do Damon e da Elena, ou fingia ser a Elena. No último episódio, não poderia faltar isso. Além de que, ela subiu de carreira e se tornou a rainha do inferno. Literalmente...
Já o Kai, é o vilão perfeito. Ele é carismático, ri de tudo e de todos, só que é um real psicopata, ele não sente culpa por nada. Matou a família toda e age como se fosse a coisa mais natural do mundo, mas queria ser amigo do Damon e namoradinho da Bonnie, e como eles não quiseram, resolveu infernizá-los também. Não adianta, gente... Os vilões são quem movimentam as séries. E o Kai tem um carisma único, que apesar de você gostar de ver o personagem, por ele não prestar, você realmente o deseja um fim não feliz, e quem já viu o final que ele teve, com certeza riu da face dele.

Imagem relacionadaResultado de imagem para davina claire season 3 angry gifResultado de imagem para rebekah mikaelson gif


De The Originals, cito novamente os que citei lá em cima... Klaus Mikaelson, Davina Claire e Rebekah Mikaelson. Klaus é simplesmente icônico, o rei da porr@ toda, um dos maiores vilões de TVD, e a atuação do Joseph Morgan é impecável. Davina é amorzinho, a amo do fundo do meu coração, protege os que ela ama com muita força (literalmente batendo de frente com vampiros originais e os colocando de joelhos), e Rebekah, irmã do Klaus, é minha paixão platônica, simples assim. Uma mistura de garota má e linda, com poderes de vampiro original, sim, fatal! Amo.

6- Qual personagem que você odeia?


Resultado de imagem para ezra fitz gif
Resultado de imagem para damon salvatore gif

Não chega a ser um ódio, mas vou citar dois que são muito queridos, mas respeito quem gosta.

Ezra Fitz de Pretty Little Liars e Damon Salvatore de The Vampire Diaries. Tudo bem que Damon é aquele anti-vilão que a gente até curte acompanhar no enredo, então, eu só não gosto dele como "pessoa", pois ele fazia muita maldade sem o mínimo de necessidade, ou descontando seus problemas literalmente matando outras pessoas ou as torturando, geralmente porque Katherine ou Elena não queriam ficar com ele... Ele literalmente matou o irmão e os amigos da Elena e ela ainda ficou com ele... Mas enfim... Fora que ele é a típica pessoa que usa e maltrata os outros apenas por benefício próprio, de modo geral, ele reúne as características que eu não gosto em pessoas em geral. kkkk'

Já o Ezra, eu não suporto. Eu geralmente pulo as cenas com ele, e quando ele aparece na tela eu já faço um sonoro "Aff... Lá vem...". O cara não presta e tem uma legião de fãs adolescentes, que eu não consigo entender. Quando era apenas um professor que se apaixonou por uma menina no bar, e que depois acabou se tornando professor dela, era tolerável. Mas quando você descobre que ele propositalmente conheceu esta garota e começou a namorar com ela porque ele na verdade gostava da amiga dela que morreu, e estava investigando e perseguindo a ela e a todos os outros para escrever um livro, sabendo que havia mais gente do mal envolvida e não fazia nada pra ajudar, inclusive invadindo os quartos das amigas delas e tirando fotos a torto e a direito e colocando gente para vigiar os outros, a coisa toda muda. Hoje ele é tratado como se fosse a pessoa mais romântica da série, o que não faz sentido nenhum na minha cabeça. E eu o desprezo com todo o meu coração. :}
Ele que despreza a pessoa que foi a grande vilã da série, mas que no entanto ele mesmo era um. Hipócrita nível hard.


7- Qual seriado você recomenda para todo mundo?

Sei que algumas pessoas não gostam de coisas que envolvam algumas mortes o tempo todo, mas, sem dúvida alguma, The Originals, que apesar do tema de vampiros e magia, envolve muito mais aspectos políticos, analíticos, estratégicos do que drama e romance. É ação em todo episódio.


8- Qual seriado tem o melhor figurino?

Gossip Girl. Sem dúvida. Simplesmente porque os personagens, em geral, tem um poder aquisitivo quase ilimitado, então ver os personagens masculinos e femininos vestindo Cartier e Armani, é coisa fuleira do dia a dia. Enquanto um ser humano normal trabalharia meses para comprar uma única peça, eles compravam a torto e a direito, com direito a peças exclusivas para eventos especiais.


9- Melhor Abertura ou Música Tema

Friends, sem dúvida. Iconizada e eternizada em minha mente. Saudades Rachel e Joey. Meus primeiros personagens favoritos das séries.


10- Qual foi o último seriado que você assistiu?

Se for de forma literal, The Originals, o episódio que passou na semana passada ou um episódio aleatório de Criminal Minds, que aliás, gosto bastante das investigações. Agora se foi um que eu terminei, foi  The Vampire Diaries, que acabou há poucas semanas e teve um fim satisfatório, sem deixar um clima de "preciso de mais pois as coisas não foram bem terminadas", acabou bem, apesar de dois ou três fatos não terem me deixado contente, mas de modo geral, foi muito bom.


11 - Qual série começou boa e foi ficando ruim com o tempo?

Pretty Little Liars. Continuo assistindo apenas por causa da personagem que citei lá encima, e porque já estou sete anos assistindo, parar agora que estreiam os dez últimos episódios na semana que vem seria um tempo de vida jogado fora. O problema é que foram sete anos enrolando respostas de assuntos das três primeiras temporadas. Por exemplo, até agora, não se tem uma conclusão definitiva do infame dia em que uma menina foi encontrada morta no primeiro episódio da série. Sério. Sete anos pra isso. Se você gosta de séries policiais, não assista essa série, você vai se sentir inteligente demais perto do departamento de polícia da cidade onde a história se passa. E isso não é uma coisa boa. kkkk'



Agora estou com gostos novos, então, talvez eu comece a assistir House of Cards.



Espero que tenham curtido. Algo em comum?

Abraços.
-F


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...